Jornal JF
Fique por dentro das últimas notícias sobre INSS, economia, auxílios, 13º salário, FGTS e impostos com o Jornal JF - o mais completo e confiável

Cid reclamou de delação premiada, criticou Alexandre de Moraes e PF- Confira Agora

O tenente-coronel do Exército, Mauro Cid, encara momentos de pura tensão ao correr grandes riscos de perder benefícios garantidos

0

Mauro Cid, o tenente-coronel do Exército está tendo que encarar um momento extremamente nebuloso dentro da sua carreira. Ele está sofrendo um grande risco de perder os benefícios garantidos na hora em que fez a assinatura do acordo de delação premiada.

A assinatura juntamente com a Polícia Federal ocorreu com o intuito de fugir da cadeia por causa das investigações que o cercam. Assim como acontece com o ex-presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro (PL).

Prisão sacramentada

Mauro Cid, ex-aliado de Bolsonaro, teve sua imagem manchada e pode perder benefícios. (Fonte: Reprodução Google)
Mauro Cid, ex-aliado de Bolsonaro, teve sua imagem manchada e pode perder benefícios. (Fonte: Reprodução Google)

Mauro Cid voltou a ser detido no último dia 22, o próprio ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou a prisão.

Leia mais: Justiça da Espanha decide dar liberdade condicional a Daniel Alves – Confira Agora o que Aconteceu

A decisão aconteceu após a Veja publicar mensagens em formato de áudio que indica que o ex-braço direito de Bolsonaro reclamou da atuação do ministro, juntamente com a própria Polícia Federal que está investigando o caso.

De acordo com o próprio STF, Mauro Cid violou medidas cautelas no acordo ao fazer tais declarações. Além disso, o militar também responderá pelo crime de obstrução de Justiça.

CLIQUE AQUI e receba as nossas PRINCIPAIS NOTÍCIAS pelo WhatsApp

Pedido de rescisão

Se porventura a PF chegar à conclusão de que o tenente-coronel não cumpriu de fato com as obrigações da norma, o ex-ajudante de ordens muitos possivelmente ficará na mira para um pedido de rescisão da colaboração.

Leia mais: Mandantes do assassinato de Marielle foram revelados- Veja quem são

Tal rescisão de delações premiadas já ocorreu em outros casos. No ano de 2017, o procurador-geral na ocasião, Rodrigo Janot, solicitou a rescisão da delação dos executivos do grupo J&F.

Alegações comprometedoras

Segundo a reportagem da Veja, Mauro Cid alegou que acabou sendo colocado contra a parede pela PF para delatar acontecimentos que não tinha ideia ou que até mesmo “não aconteceram”. O militar também afirmou por meio de áudios que a Procuradoria-Geral da República e o ministro Alexandre de Moraes, possuem uma “Narrativa pronta”.

Leia mais: Acaba de Sair: Lei Anuncia Fim da CNH para ESSE Grupo: Conheça os Beneficiados!

Cid foi convocado para poder dar a própria versão do que havia falado no decorrer da audiência. Ele alegou que mandou a mensagem para amigos em tom de “desabafo”.

Por fim, contrariando o que falou nas mensagens, Mauro Cid disse novamente que resolveu delatar de forma espontânea os detalhes que viu durante o governo de Jair Bolsonaro e que não ocorreu nenhuma pressão por parte da PF ou Judiciário para realizar as acusações.

Veja Também: INSS tem 3 SURPRESAS para os APOSENTADOS e PENSIONISTAS

INSS tem 3 SURPRESAS para os APOSENTADOS e PENSIONISTAS do INSS. (Fonte: João Financeira TV)

Dica bônus

Receba nossas informações diariamente de forma gratuita, nos seguindo em nossas redes sociais:

CLIQUE E CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO INSTAGRAM!

CLIQUE E CONHEÇA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK!

Dica extra: Tenha todas as informações de forma rápida e sem precisar ler as notícias: Clique aqui, se inscreva em nosso canal no YouTube e assista.